Pastilhas de vidro para fachadas

 

O uso de pastilhas nas fachadas não somente imprime características contemporâneas para a arquitetura, mas valoriza os empreendimentos financeira e esteticamente. É um material rico e a diversidade é imensa. Há as pastilhas rústicas, as lisas, com brilho e sem. A fachada é uma grande escultura e as pastilhas realçam suas formas.

Umas das vantagens das pastilhas está em sua relação custo/benefício, melhor que a da pintura, apontam os arquitetos. O gasto maior com material é compensado pela praticidade para conservação do produto aplicado. Além de dispensar pintura anterior da parede, a durabilidade das peças é maior do que a da tinta e exige menos trabalho de manutenção.Enquanto o prédio com pintura precisa de limpeza a cada dois anos, a construção com pastilhas pode ser a cada cinco.

O aumento da poluição é um agravante no caso da pintura. A sujeira agarra na fachada com textura e, quando chove, ela escorre e deixa seu rastro. O que não ocorre com a pastilha, que tem superfície lisa.  Quando bem aplicadas no revestimento vertical ou horizontal, elas deixam o visual do ambiente mais alegre, moderno e personalizado. Dependendo da composição, as pastilhas configuram um efeito colorido, degradê e até mesmo mosaicos com ilustrações.

Além disso, as pastilhas de vidro evitarão a condução de calor para a parte interna da construção, economizando energia e minimizando investimentos em máquinas de refrigeração. O custo das pastilhas de vidro é competitivo, igualando-se hoje ao das pastilhas cerâmicas. Vale ressaltar que a pastilha de vidro é considerada um revestimento nobre, agregando mais valor à obra.

 

Comente (será moderado)